MIRANTE 1

Apenas um grande caderno de notas. Um mirante de onde eu olho tudo e qualquer coisa e bato nas teclas pra registrar.

Valores e ética, o Matuto e o Atlas


O Velho baforava o cachimbo soltando circulos de fumaça no ar. Entre um trago e outro da aguardente se perdia em lembranças e pensamentos.

O olhar fixo na rua de terra e a aba do chapéu fazia sombra na face.

A calçada com seus mosaicos coloridos ecoava o barulho de borracha e couro produzidos pelas botas do jovem que entrara para pedir também um trago.

Na porta de mais de dois metros, projetada para aproveitar o máximo de luz do Sol, em estilo colonial, os dois cruzaram um olhar enquanto o jovem se sentava na cadeira ao lado.

Um acenou para o outro com a cabeça. Um sorriso desdentado e um dentado.

O velho se mexia bem devagar, no seu próprio ritmo e tremia um pouco. Sacou uma caneta tinteira e começou a rabiscar uma folha.

Ele escrevia mais rápido do que tinha se mexido para fitar o rapaz.

Levantando com algum ruído, o velho limpou o fumo do cachimbo e preparava outro. Dobrou a folha e colocou na mesa do rapaz.

De cabelos longos e a tez cansada o moço observou o velho sair de cena no dia ensolarado e guardando a caneta tinteira de volta no bolso da camisa.

Cansado de conversas sem fim e de ter sempre que provar o ponto de vista aos demais, o jovem simplesmente aceitou a oferta e desdobrou o papel.

Em uma letra impecável estava escrito:


“Definição de ética: Parte da filosofia que estuda os fundamentos da
moral, conjunto de regras de conduta.

Moral – Que procede com justiça. = correto, decente, honesto, íntegro, justo.

Definição de Valores – Coragem, valentia. Merecimento; talento; reputação e (o que mais gosto) o que vale uma pessoa ou coisa.

O problema de elevar os seus valores é que talvez eles fiquem pesados demais para  carregá-los.

É um exercício diário e digno de Atlas.

Cotidianamente todos vão discursar sobre o que é certo fazer em uma situação ou posição na qual você se encontra. Porém, todos – ou a esmagadora maioria – faria bem diferente assumindo essa mesma posição.

Se alguém te dá um pote de ouro no objetivo de reavê-lo dentro de um ano, todos te repudiariam caso você pegasse um tento para si mesmo. Ainda sim, a esmagadora maioria o faria para uso próprio.

Li certa vez, “Você deve se basear nas suas crenças e valores, e não deve ferir a sua ética”.

Mas penso que crenças, valores e ética não são sólidos como uma rocha, são um fardo pesado como uma montanha.

A todo momento você precisa vigiá-los e perceber se não andam se desviando e se desfazendo. O consenso, ou melhor, o que se faz no dia-a-dia é a modelagem deles conforme a conveniência da situação.

Isso recorre à hipocrisia.

O recado é esse, muleque:

Repense seus valores e os erga acima da cabeça e não importa o quanto a maré esteja contra ou quantos dragões venham de encontro ao seu corpo, seja um Atlas e finque as unhas neles. Desse jeito, tu esmagas  qualquer um.

Att,

Um Matuto qualquer”


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 30 de junho de 2010 por em Contos, Textos e ensaios....
%d blogueiros gostam disto: