MIRANTE 1

Apenas um grande caderno de notas. Um mirante de onde eu olho tudo e qualquer coisa e bato nas teclas pra registrar.

Honra e Hombridade

As gotas de chuva caíam pesadas. Esfriavam a pele cansada, escorriam pelos cabelos e pela barba por fazer.

Os joelhos separados, ambos, no chão duro. Cansado, ele sentava sobre os próprios pés.

Perto de completar 23 anos, ele precisa encontrar energia pra continuar sem descanso.

Reeducar o seu cérebro, para que suas palavras não trombem umas nas outras e não se despejem mutadas gramaticalmente no papel.

Acima de tudo, ele precisa manter sua hom.bri.da.de  (Qualidade boa e destacada de homem, especialmente a integridade e o valor, Etimologia – Do espanhol hombre.)

Por que hoje, são raros os homens de honra.

( Honrado é julgamento que determina o caráter de uma pessoa exatamente: se ou não a pessoa reflete honestidade, respeito, integridade, ou justiça. Adequadamente, são nomeados os indivíduos cujo valor e estatura baseados na harmonia das ações delas, código de honra, bem como as da sociedade em geral. Honra pode ser analisada como um conceito relativístico, ou seja, os conflitos entre indivíduos e até mesmo culturas que surgem como consequência de circunstância material e ambiciona, em lugar de diferenças fundamentais em princípio.Alternativamente, ele pode ser visto como nativista – a verdadeira honra é como realidade à condição humana como amor, e igualmente deriva dos laços pessoais formativos que estabelecem a dignidade pessoal da pessoa e caráter.Dr.)

(Samuel Johnson, em A Dictionary of the English Language (1755), definia honra como tendo vários sentidos, o primeiro de que eram “nobreza de alma, magnanimidade, e um desprezo a maldade”. Esse tipo de honra decorre da percepção da conduta virtuosa e integridade pessoal da pessoa dotada com ele.)

Ele tomba pra trás. Chega a exaustão e não consegue mais se equilibrar. As pernas doíam por estarem flexionadas. Agora ele deixa seu peso ceder e bate as costas no chão. Alívio nas pernas, pelo menos.

Mas o cansaço vem de um coração partido. Essa é a derrota da batalha, quando sua armadura mostra uma brecha e você toma o golpe na própria carne.

Acredito que todo homem em formação vai se deparar com a ruptura de suas crenças. Todos nós olhamos e admiramos alguém, sempre. Estamos sempre comparando uns aos outros. E nesse exercício, sempre nos pegamos almejando ser alguém. Seja pela posição social, fama, honra, inteligência ou qualquer outra coisa.

Mas a quebra dessa inocência pode acontecer várias vezes em diversas situações.

Nesse momento, ele se estatela no chão por ter acreditado na hombridade e na honra de homens que não enxergam um palmo além das suas próprias ambições.

De repente, ele percebe que essa, na verdade é a regra. E quase todos os homens e mulheres bem sucedidos que ele conhece são, na verdade, dragões que só querem defender as próprias cavernas e os seus tesouros e acumular cada vez mais riqueza (leia-se qualquer desejo patológico nessa riqueza – sexo, dinheiro, fama, status etc). Tudo porque não conseguem dividir o que é deles.

Daí vem as frases “você sabe com quem está falando?!” ou “Ninguém mais do que eu quero o bem de todos ou desta instituição”, talvez também já tenha ouvido eles se esconderem por trás das suas instituições e cargos.

Você pode tomar duas atitudes quando isso acontece.

1 – Se acolher embaixo das asas do dragão, que são aconchegantes, quentes e te protegem da chuva – enquanto você tiver alguma serventia pra eles. Até que você cresce, vira um dragão também e vai defender a sua própria caverna. Infelizmente, essa é a que mais acontece aparentemente.

2 – Tentar vestir sua armadura e ir ao campo aberto, na chuva, tentar desviar das bolas de fogo que eles cospem e dos outros golpes e artimanhas que eles tramam. Isso tudo, sem deixar se desviar do seu caminho. Sem se esconder debaixo da asa de um deles.

É difícil e às vezes você cai. Hoje ele está caído, tomando chuva. Mas logo ele se levanta e continua. Uma perna depois de outra, um dragão depois de outro. Alguns você derrota, por outros você só passa. O jeito é revestir a sua armadura, de hombridade e honra e se alimentar de seus valores e de bondade.

Beba a água da chuva quando sentir sede e se encha de coragem pra continuar com fôlego.

Anúncios

Um comentário em “Honra e Hombridade

  1. Mariana
    13 de janeiro de 2011

    Olhando de fora, esse é um ótimo texto.

    Conceitos, argumentos, imagens, sentimentos.

    Mas não dá pra olhar de fora quando há sentimentos envolvidos, especialmente se forem os seus. E poucas expressões são tão capazes de partir um coração quanto a própria “coração partido”.

    Você é melhor do que tudo isso e, em alguns anos, vamos nos lembrar dos dragões que ficaram para trás como lagartixas mitológicas que queremos bem longe do nosso jardim.

    E o jardim será bonito, você vai ver.
    Te amo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 13 de janeiro de 2011 por em Contos, Política, Textos e ensaios....
%d blogueiros gostam disto: