MIRANTE 1

Apenas um grande caderno de notas. Um mirante de onde eu olho tudo e qualquer coisa e bato nas teclas pra registrar.

Rise

Harley-Davidson

A partida deixa tudo surdo. O barulho constante do motor abafa todo o resto. Privando sua audição, você ajeita os óculos escuros e o cigarro no canto da boca. Seus olhos parecem acordar. A atenção que você deve ter com eles cresce. Então você percebe o verde das folhas nas árvores e o azul do céu. O dia ensolarado te dá vontade de sair por aí, sem compromisso, sem horário, sem preocupações. Você tem vontade mesmo é de ir à praia. Alguma praia distante.

Você pensa em mudar de vida, mudar de área, mudar de estado, mudar de identidade.

“Calma. Tenha calma”.  Curioso como pessoas mais velhas dizem isso com frequência. Respeite os mais velhos, eles sabem o que falam.

A vida não é ruim. Ela tem sim, os seus altos e baixos. E eles já passaram por preocupações e crises que você nem imagina. Overnight, inflação, plano cruzado, confisco das poupanças, mortes, nascimentos, dívidas, fracassos, vitórias. Sim. Respeite os mais velhos que você. Por mais que eles não saibam lidar com a pluralidade de competências que você precisa desenvolver sobre-humanamente, pra se tornar só mais um. Por mais que não entendam as funções básicas de um smartphone ou e-mail, tampouco entendam o contexto de um livro ou filme tão bem quanto você.

Eles viveram há mais tempo que você.

Atravessando a cidade indo ao trabalho e sem parar de pensar em você…

As árvores da Av. Brasil, perto do Ibirapuera brincam com os raios de Sol nas copas das suas árvores, enquanto o vento vai te fazendo um carinho gostoso.

Nas costas, não é um violão, nem você imaginaria que passaria por aquele caminho. As tatuagens no braço dizem muito mais do que você talvez gostaria de revelar, verdades e sentimentos tão incutidos no seu ser que você até esquece deles, mesmo quando olha os traços e letras.

Traços que te carregaram até aqui.

Você pode até tentar se planejar. Mas a vida é uma sem vergonha, que te surpreende e te deixa – muitas vezes – pelado no meio da rua.

Mas tá tudo bem. Desde que você procure as coisas certas, nos lugares certos. Desde que você saiba o que quer.

Você quer ter uma vida boa, fazendo o que gosta, sendo alguém que une a sua família?

Ah, a vida é sádica e uma ótima lutadora. Muitas vezes, melhor lutadora que você. E ela vai te derrubar.

Mas como disse Rocky Balboa – e eu li em um texto essa semana – não se trata do quanto você bate de volta, mas sim, o quanto consegue seguir em frente levando um golpe atrás de outro.

Resiliência, um amigo disse certa vez.

Obrigado pelas palavras.

Você vai se foder!

Sim. Aceite esse fato.

Tente se prevenir.

Ainda assim, quando acontecer, se recolha, chore suas mágoas, lamba suas feridas, agradeça quem as lambe junto contigo. Lamba as dela. (inteira)

Você é tão bom quanto se permite ser – e o quanto entende o fato de que sabe pouco.

De novo, faça o que goste – se não conseguir fazer durante o dia, faça à noite.

Mas não deixe de fazer.

Sorria.

Eu olho pelo retrovisor – que agora fica embaixo do guidão. Eu vejo o que já passou. Mas o verde da copa das árvores é tão lindo.

Um fardo sempre parece mais leve quando olhamos pra cima.

Eu olho pra frente. E o Sol mostra só até a próxima curva.

Eu só escuto o ronco do motor.  E essa guitarrinha pelos meus fones de ouvido.

E como não poderia ser diferente, só penso nela.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 22 de outubro de 2013 por em Diário de um Hóspede e marcado , , .
%d blogueiros gostam disto: