MIRANTE 1

Apenas um grande caderno de notas. Um mirante de onde eu olho tudo e qualquer coisa e bato nas teclas pra registrar.

Motor

A noite foi inquieta. O sono, tão necessário, leve demais. Ciúmes não sei de quê. Dúvidas, não sei por quê. O que nos movimenta? A perseguição dos sonhos é tortuosa. Enquanto algumas pessoas parecem ter sorte e bons ventos sopram suas velas, nem sempre o mesmo parece acontecer contigo.

Desde os maiores eventos como conseguir um trabalho, uma promoção, um aumento, abrir um negócio que dá certo, começar um blog que tem milhões de acessos… Até as pequenas escolhas que fazemos no dia-a-dia. Aquelas que desafiam a sua inteligência na busca por aprender, fazer melhor, fazer mais…

A noite é quieta. A tela do celular ilumina a noite quente. O vestido dela, branco, se mistura ao sorriso e as luzes azuis.

Sentimento estranho. Deixa pra lá.

O sono vem e às 5h. Aquele momento da madrugada que a hora mais escura já passou e o céu ganha uma cor estranha, no meio do caminho, fria… Sem alegria nesse dia.

Deve ser a distância eminente que te faz imaginar a distância dos anos. Pra frente ou pra trás. Maldito raciocínio que se dobra e estica pra lugares inúteis. E surra o coração deixando-o cheio de ansiedade e confusão. Malditos detalhismos. Idiotice irracional.

Aplique sua inteligência em coisas produtivas.

“Stop thinking and just let it go”…

Só a estrada parece dar conta desse estado de espírito. O suor, o calor do motor o faz expurgar todas as preocupações. O vento as carrega. Tudo fica pra trás.

moto1

Ele se pergunta porque cada texto, cada linha precisa ser uma carta de amor.

“In every single letter, with every single word, there will be a hidden mesage about a boy who loves a girl”.

Reciprocidade.

E o vento leva algo a mais pros vales da serra.

A cabeça volta a pesar assim que a moto para.

Maldita necessidade de buscar o sentido de todas as coisas.

Vontade de encontrá-la em todas as estradas.

Quem?

A felicidade, oras.

Mas ela é um conceito tão vago.

E a vida pede pragmatismo mais paciência para ser estratégico. No momento, a única estratégia é controlar a minha máquina. Nenhuma cobrança. Só a de gasolina sendo esguichada no motor.

Deixa as grandes decisões pra lá, problemas, precauções, preocupações… por um instante que seja.

Faça você isso também.

Foque no motor. Apenas no barulho do motor. É o melhor que você faz. No dia-a-dia também. Apenas o foque e dê importância ao que te move.

Seus sonhos são o seu motor? Seu ego? Sua vontade por mais dinheiro? O que te move?

Seu motor vale a pena?

harley-davidson

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 25 de novembro de 2013 por em "Interantissedades", Crônicas, Diário de um Hóspede, Textos e ensaios... e marcado , , .
%d blogueiros gostam disto: